Programação do Estado para o aniversário de Belém tem diversas atividades

Programação terá músicas, artes cênicas e visuais, visita aos museus, arte de rua e cultura popular

Redação Integada

Os 184 anos da Cabanagem (1835-1840), revolta popular ocorrida no Pará durante o Império, e os 403 anos da fundação de Belém, celebrados neste dia 12 de janeiro, estão sendo comemorados pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult) com a programação “Belém Cabana”. A programação começa nesta sexta-feira, dia 11, e segue até o domingo (13), sempre com entrada franca em diversos espaços culturais do Estado.

Leia também - Confira a programação oficial da prefeitura para o aniversário de Belém

Abrindo a programação cultural nesta sexta-feira, dia 11, a partir de 19h, será realizado o “Sarau da Cabanagem”, no Mercado de São Brás, com um coletivo de mulheres artistas unidas pela poesia: Shaira Mana Josy, Francine, Karol Filha de Vênus, Ananindeusa, Ana Silva (Dra. Poesia) e Grupo Amaná, formado por Eluê, Luna e Lazuli. As artistas têm carreiras individuais e também participam de uma rede feminina que fortalece a cena artística. Elas apresentarão um trabalho voltado para a importância da mulher na Cabanagem.

Também nesta sexta-feira, 11, no hall do Theatro da Paz, a partir de 19h30, haverá o relançamento do livro “Cabanagem – Poema” e do CD “Cabanagem – O Musical”, do professor, médico e poeta Valdecir Palhares. O projeto, que tem produção artística dos músicos Jacinto Kahwage e Luiz Pardal, reúne os intérpretes Allan Carvalho, Nanna Reis e Rogério Brito. O livro de poesias autorais foi ilustrado por Biratan Porto.

Logo em seguida, às 20h, no palco do teatro, entra em cena o coro infantojuvenil Vale Música, formado por 130 crianças e adolescentes, regido por Eliane Fonseca e acompanhado pelo pianista Ediel Souza. No repertório, composições regionais, nacionais e internacionais, como “Uirapuru”, de Waldemar Henrique, e “Depende de nós”, de Ivan Lins.

A última atração da noite é o espetáculo “Cabanos: Uma Viagem no Tempo”, do grupo de teatro Encenação Cultural do Pará. A peça interpreta os fatos históricos com trechos de ficção romancista, tendo como personagens principais Miguel Aranha e senhorinha Elizabeth, filha do governador Lobo de Souza, além de prestar uma homenagem ao escritor paraense Marco Antônio de Oliveira, com um pequeno trecho da obra “A Ameaça”. O espetáculo tem classificação indicativa de 14 anos.

Sábado tem contação de histórias

No sábado, dia 12, aniversário de Belém, a programação começa às 9h30, no Teatro Gasômetro, do Parque da Residência, com apresentação de cortejo afro, Cordão de Pássaro Colibri, Escola de Samba Império Pedreirense, Companhia de Teatro Madalenas e In Bust Teatro com Bonecos.

Às 10h40, na área externa, o grupo Madalenas entra em cena com o espetáculo “La Fábula”, um mergulho no universo mágico dos contos da literatura universal, encenados com a linguagem do teatro de rua. Os personagens são figuras conhecidas mundialmente, como Dom Quixote e sua ingenuidade, Homem de Lata e seu coração generoso e a Rainha Altiva, que se alimenta de histórias e terá sua fome aplacada por três súditos. Com direção coletiva, dramaturgia de Ester Sá e coordenação geral de Leonel Ferreira, o espetáculo é um convite a um reino mágico e onírico, que estimula a reflexão sobre a importância da contação de histórias.

Uma fazenda no Marajó é o ponto de partida do espetáculo “O Conto Que Eu Vim Contar”, da In Bust Teatro com Bonecos, que será apresentado a partir de 11h40, no palco do Gasômetro. Seu Bastião, um homem muito brabo, é o dono desse lugar. Ele tem uma filha linda, Hosana, que vive presa em casa desde que sua mãe se foi. O local é banhado por um rio cheio de segredos, onde vivem muitas criaturas, inclusive o Boto. Com texto de Adriana Cruz, inspirado em “Um Conto de Natal”, de David Matos, o espetáculo traz bonecos confeccionados com patchouli e manipulados pelos atores Adriana Cruz, Paulo Ricardo Nascimento e Lucas Alberto. Direção, cenários e bonecos de Aníbal Pacha.

No Museu do Estado do Pará (MEP), a partir de 9h, além da exposição “Saramago”, que permanece até 17 de fevereiro, haverá uma “Imersão Cabana”, com visita educativa ao acervo e projeção do curta “Cabanagem”, cedido pela Funtelpa, no salão transversal. A partir de 19h, na área externa, video mapping temático com os VJs Lobo e Luan, e intervenção cênica “A(Mor)daça”, de Lo Ojuara, baseada em pesquisas sobre a escravidão e a resistência negra durante esse período histórico, seguida pela atriz Ester Sá, com a performance narrativa “Começa Muito Antes de Começar - Uma Voz sobre a Cabanagem”, que percorre os acontecimentos históricos pelo viés da ancestralidade.

SERVIÇO: Programação “Belém Cabana”, em comemoração ao Movimento da Cabanagem e aos 403 anos de Belém.

Data: Dias 11 e 12.

Locais: Mercado de São Braz, Theatro da Paz, Teatro Gasômetro, Museu do Estado do Pará e Cidade Velha.

Entrada franca para todas as atrações.

Para programação no Theatro da Paz retirar ingressos no site www.ticketfacil.com.br.

Datas: Dias 12 e 13

Locais: Museu do Círio, Museu do Presépio, Museu de Arte Sacra e MEP funcionarão em horário especial, de 9h às 17h.

Realização: Governo do Estado do Pará por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult).   

Cultura