“Belém pra ver e sentir" celebra os 407 anos da capital

Projeto - Já na quarta edição, iniciativa do Grupo Liberal valoriza as riquezas da cidade das mangueiras

Ana Paula Gama
fonte

Belém do Pará é repleta de sabores, cheiros e encantos, características que tornam a cidade merecedora de todas as homenagens que recebe no dia do seu aniversário, celebrado nesta quinta-feira (12). Todas essas qualidades motivaram o Grupo Liberal a criar o projeto “Belém Pra Ver e Sentir”, que visa homenagear e valorizar a Mangueirosa, como é popularmente intitulada.

A iniciativa conta com a participação de diversas personalidades locais e nacionais em vídeos e banners publicados desde o início de janeiro no portal OLiberal.com, além de um caderno no jornal O Liberal com matérias especiais sobre a cidade. De acordo com Aurélio Oliveira, gerente do Estúdio Digital & Content do Grupo, nos vídeos os artistas declaram todo o amor à cidade. “Sempre convidamos pessoas que nasceram aqui ou já tiveram alguma experiência marcante em Belém”, explica o gestor.

A primeira edição do “Belém Pra Ver e Sentir” ocorreu em 2020 e, logo em seguida, virou uma tradição e a lista de participantes começou a crescer cada vez mais. “Já passaram Fafá de Belém; Rebeca Lindsay; Liah Soares; João Jadson; Dona Onete; Pinduca; Joelma; Nilson Chaves; Priscilla Castro; Afonso Cappelo; Lia Sophia; Arthur Espíndola; e Layse Santos”, relembra Aurélio.

image “Que as pessoas dessa terra morena construam um futuro melhor e maior”, deseja Aurélio Oliveira, gerente do Estúdio Digital & Content do Grupo Liberal (Tarso Sarraf)

GRATIDÃO

Com o apoio da prefeitura de Belém e da Vale, o projeto está na sua quarta edição e simboliza o amor e gratidão que o Grupo Liberal tem por Belém, pois foi nela que a empresa construiu a sua grande história de desenvolvimento e sucesso.

“A expectativa é que a maioria de nossa audiência receba essa homenagem, pois o coração desse lugar é feito de pessoas que constroem a cidade e a impulsionam todos os dias”, destaca Aurélio Oliveira, ressaltando que, além da sede e principais veículos de comunicação em Belém, o Grupo Liberal também possui empresas em outros municípios no estado e escritórios em Brasília e São Paulo.

Ainda segundo o profissional, Belém precisa ser valorizada e bem cuidada por todos, pois é repleta de riquezas e diversidade, além de ser conhecida pela culinária tipicamente amazônica.

“Que a majestade de suas belezas naturais e culturais seja ainda mais próspera. E que as pessoas dessa terra morena construam um futuro melhor e maior”, pontua.

“APAIXONADA”

A cantora Joelma é uma das participantes do “Belém Pra Ver e Sentir” deste ano. Ela comenta que tem muito carinho e gratidão capital paraense.

“Eu cheguei aqui para dar os parabéns para Belém do Pará, capital do meu estado, que tem tanta coisa linda e eu sou apaixonada. Essa cidade me deu tantas coisas maravilhosas, como os ritmos e a culinária. A gente tem tudo de bom. Parabéns, Belém do Pará!”, destaca a artista.

POVO GENTIL

Para o jornalista Márcio Lins, Belém se destaca por ser uma cidade muito acolhedora, onde é possível criar grandes amizades. “Para mim, falar de Belém é muito fácil, afinal foi aqui que eu nasci, me criei e construí meus laços de amizade. E quando a gente fala de amizade, tem tudo a ver com Belém, pois aqui fazemos amizade fácil com as pessoas na rua”, elogia.

Outro diferencial da Mangueirosa é a gentileza dos belenenses, que recebem muito bem os turistas. De acordo com Márcio, essas características são responsáveis por tornar Belém do Pará uma cidade única e encantadora.

“Eu sou muito feliz por ter nascido e por morar aqui em Belém. Desejo que todos nós possamos cada vez mais cuidar dessa cidade, pois o amor por ela não se trata apenas de palavras, mas também de ações no nosso dia a dia. Parabéns, Belém”, acrescenta o jornalista da TV Liberal.

“SALVE”

Já a cantora paraense Lucinnha Bastos revela que vive uma grande história de amor com Belém, por conta de emoções e experiências inesquecíveis vividas na Cidade das Mangueiras. A artista relembra que já morou em outras cidades, porém é na capital paraense que ela se sente em paz.

“Aqui estão a minha família, meus amigos e histórias que eu posso contar. É aqui que eu vivo bem, me sinto feliz e realizada. Eu morei oito anos no Rio de Janeiro e tenho grandes recordações, já cantei em vários lugares e conheci outras culturas, mas o melhor de tudo sempre foi voltar para casa. Eu peço um salve para Belém e desejo que a gente cuide dessa cidade linda todos os dias, pois ela merece”, afirma Lucinnha.

Metrópole nasceu Feliz Lusitânia

Com 407 anos, completados nesta quinta, Belém do Pará foi fundada no dia 12 de janeiro de 1616, quando o capitão-mor português, Francisco Caldeira Castelo Branco, desembarcou na capital paraense e criou o Forte do Castelo do Senhor Santo Cristo do Presépio de Belém, um ponto estratégico fundamental na conquista da foz do rio Amazonas por parte de Portugal.

A partir desse momento, um povoado se formou ao redor do Forte, que passou a se chamar Feliz Lusitânia. Com o tempo, o local foi recebendo outros nomes até chegar no atual: Belém do Pará, a primeira capital da Amazônia.
 

Conteúdo sob aprovação
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!