Você vai me levar, não é?

A Conexão AMZ te mostra o que é preciso fazer para você e o seu melhor amigo viverem uma divertida e memorável aventura. As palavras-chave são planejamento e organização

Rodrigo Vieira | Conexão AMZ

Mesmo com uma série de recursos e possibilidades para cuidar do melhor amigo (leia aqui), tem gente que não consegue ficar longe do catioríneo nem durante as férias. Mas, dá pra levar os peludos para curtir a viagem com a gente? A resposta é: depende do seu destino.

 

Antes de querer viver uma gostosa aventura com o seu pet, é preciso checar se o lugar onde você vai se hospedar aceita cachorros e se a cidade e o seu roteiro contemplam atividades as quais vocês possam fazer juntos. Para nos dar uma forcinha, o site Guia Petfriendly, faz a ponte entre tutores e estabelecimentos onde humanos e catioros são bem-vindos. Há dicas de bares, restaurantes, hotéis, pousadas, lojas, shoppings, parques, passeios e espaços de co-working, além de serviços exclusivos para os caninos. Tudo separado por categoria, cidade e país.

 

Eles também podem ir a bordo

 

Vai viajar de avião? Sem problema! A Frida, uma maltês de dois anos que é minha escudeira, já fez várias viagens comigo. Os nossos amigos são bem-vindos na maioria das companhias aéreas nacionais e internacionais. Mas, é preciso solicitar e checar a disponibilidade do serviço para o seu voo com antecedência e cumprir algumas regras. O preço do serviço é cobrado por trecho e varia em cada empresa. Na Latam, por exemplo, custa R$ 250 para voos domésticos. 

Frida dentro da sua sacola de viagem. Ela já viajou duas vezes de São Paulo para Belém. (Rodrigo Vieira - Conexão AMZ)

Além da carteira de vacinação em dia, é preciso ter um laudo assinado por um veterinário atestando que o seu bichinho está saudável para viajar. Mas, atenção: o documento tem validade por dez dias, a contar da data da assinatura. Então, se a sua viagem tiver duração maior, precisará levar o peludo a uma nova consulta, no lugar do seu destino final, para obter um novo atestado.

 

Para viajar na cabine, os pesos do pet e da caixa ou da sacola de transporte não podem ultrapassar sete quilos. As dimensões são de 19 cm de altura x 36 cm de comprimento x 33 cm de largura, para as caixas rígidas, e de 23 cm de largura x 36 cm de comprimento x 33 cm de largura para as sacolas flexíveis. Se o seu amigo for maior, terá de ir no bagageiro, em uma área preparada para recebê-lo.

Frida dormindo tranquila dentro da cabine do avião. Pets têm de ficar embaixo do assento à frente do passageiro. (Rodrigo Vieira - Conexão AMZ)

Outro cuidado é com a alimentação deles, que deve ser reduzida no dia do embarque e suspensa de duas a três horas antes do voo, de acordo com os veterinários. Se vale ou não dar remédio para enjoo e para dormir? A Frida nunca precisou, mas é melhor você consultar o médico responsável pela saúde do seu cãompanheiro.

Conexão AMZ
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!