Ver-o-Peso encanta mesmo abandonado

Um dos principais cartões postais de Belém, complexo do Ver-o-Peso não passa por uma reforma há quase 20 anos, mas continua encantando feirantes e visitantes

Equipe|Conexão AMZ

Quem é de Belém e até quem não é - qualquer turista pode confirmar - reconhece a importância de um certo mercado de ferro inglês e de todo o seu entorno para a capital paraense. O complexo do Ver-o-Peso e tudo em volta são como um coração, pulsando no centro de Belém. Quem trabalha ali todos os dias ou não deixa de visitá-lo, mesmo no estado de completo abandono em que se encontra, vive com o lugar uma relação de amor.

"O Ver-o-Peso traz toda uma importância na memória afetiva da cidade e se desdobra de várias maneiras, desde o cheiro, que remete ao afeto. Quando saí de Belém eu lembrava até do pitiú, mas não de um jeito que eu não gostasse, eu sentia falta porque fazia parte da minha rotina", conta a fotógrafa Nayara Jinknss. 

A artista visual tem uma relação antiga com o "veropa", como o complexo é carinhosamente chamado pelos paraenses, e contou à Conexão AMZ um pouco da sua relação com a feira. "Minha avó já foi feirante e minha mãe também, mas por pouco tempo. Com o passar dos anos essa conexão só fez aumentar", conta a artista.

Confira aqui a magia do Veropa pelas lentes de Nayara Jinknss instagram

Hoje, Nayara lamenta as condições atuais do complexo. "O Ver-o-Peso é um lugar que tem tudo pra ser uma grande potência, mas o abandono das autoridades, a falta de compromisso e honestidade deles, interfere diretamente na feira e em quem trabalha no local", desabafa.

Na terça-feira (23), o abandono do Ver-o-Peso foi tema de uma audiência pública convocada pelos Ministérios Públicos Estadual e Federal em Belém. Leia aqui Qual o futuro do Ver-o-Peso?

Conexão AMZ