Eles vão dominar o mundo

Se você ainda não conhece um personal organizer de perto, a gente aposta que já viu algum na TV! Marie Kondo é um fenômeno na internet que se multiplica no mundo real. Se você é do tipo que ama a casa arrumada e sente uma inexplicável paz interior com isso, essa reportagem foi feita pra você!

Anna Peres | Conexão AMZ

No YouTube, em uma plataforma de streaming ou na TV a cabo, em algum momento você, com certeza, já se deparou com um programa de dicas para arrumar a casa. O interesse pelo assunto anda em alta e há até um profissional específico pra te ajudar a ser mais organizado. Já ouviu falar em personal organizer?

Em Belém, a Conexão AMZ conversou com a personal organizer Lívia Costa, que não só explica o que faz esse profissional como também a diferença que a organização pode fazer na vida de uma pessoa. Acredite, vai muito além de manter armários e gavetas arrumados. “Um dos reflexos da organização é uma vida mais equilibrada. Você consegue se dedicar para coisas que realmente são importantes. Porque um ambiente e uma rotina organizados trazem leveza, paz de espírito e faz a energia fluir”, garante Lívia.

Parece exagero? Não para uma das maiores referências em organização do planeta. A japonesa Marie Kondo defende uma conexão entre a praticidade no dia a dia – com roupas, livros, utensílios e objetos decorativos devidamente organizados – e a aproximação da família. A organização, segundo o método KonMari, proporciona mais alegria a todos. Parece dar tão certo que Kondo já tem quatro best-sellers sobre o assunto e, no início do ano, ganhou seu próprio programa na Netflix.

Mãozinha na organização

Para quem sonha com uma casa mais organizada, mas não faz ideia de por onde começar a por ordem na bagunça, surgiram os personal organizers. Além de arrumar os ambientes, esses profissionais defendem que seus clientes aprendam técnicas – que vão desde a melhor maneira de dobrar as roupas ou guardar as louças no armário – e criem hábitos de organização que vão ajudar a manter os espaços em ordem. “Não é difícil. Basta querer. Organização é um hábito como outro qualquer. Logicamente demanda dedicação e disposição”, explica Lívia.

Ainda tem dúvidas? Veja esse vídeo:

“O principal é entender suas reais necessidades e dar um primeiro passo. Mesmo que seja um hábito pequeno. Como o de organizar a cama assim que levantar. A organização, aos poucos, com pequenas mudanças, vai se tornando algo prazeroso porque você vai percebendo os benefícios que aquilo te traz. Em todos os âmbitos da vida”, garante a organizer.

Mudança de vida

Mesmo não se considerando uma pessoa desorganizada, a professora Yorrana Maia decidiu contratar uma personal organizer para por ondem no quarto do casal. “E mudou muito viu. Conseguimos otimizar o espaço e, o que é mais importante, manter o ambiente arrumado. Estamos conseguindo isso justamente porque, agora, a gente sabe exatamente onde está cada coisa. Até a energia do ambiente ficou mais leve depois que tiramos as coisas que não usávamos mais”, conta, já adiantando que a ideia é estender o projeto aos outros cômodos da casa.

Para Yorrana, que trabalha fora e tem uma filha pequena, ter uma casa organizada significa praticidade e ganho de tempo. “Consegui perceber como a gente pode usar os espaços de maneira mais eficiente e fazer com que a vida se torne mais prática. As coisas fluem melhor”, garante a professora, para quem a principal lição foi conseguir perceber e se desfazer daqueles objetos sem uso que a gente, sabe-se lá porque, continua guardando em casa sem prazo de validade. Esse aliás é um dos mantras de qualquer guia de organização: se um objeto ou peça de roupa está guardado há mais de dois anos, é hora de passa-lo adiante. Mesmo que seja novo.  

“Eu sabia que ia fazer uma diferença enorme na nossa vida, mas nem eu esperava tanto. Mudou até o astral do lugar, que ficou mais harmonioso. Hoje é muito mais prazeroso pra gente estar lá”, garante Yorrana. E você? Já está arrumando as gavetas?

Cultura