Como o ex-prefeito de Belém consegue se manter em liberdade?

Entenda melhor o emaranhado de processos criminais a que responde o ex-prefeito de Belém. Só na justiça federal Duciomar Costa é réu em 20 processos

Layse Santos e Rodrigo Vieira|Conexão AMZ

Numa conta rápida, você responderia a quantos processos em que já viu o nome do ex-prefeito Duciomar Costa envolvido?

Não é uma conta fácil, especialmente porque ela vem se arrastando em vários e longos capítulos de uma história que atravessou dois mandatos, de 2005 a 2012.

O crime de dispensa indevida de licitação na tentativa de compra do Hospital Sírio-Libanês, em 2005, motivo da última condenação de Duciomar Costa, é apenas a ponta de um iceberg. Duciomar responde a processos criminais, ações civis públicas e ações de improbidade por problemas na aplicação de recursos da saúde e de diversos convênios federais, desde inclusão digital a obras de recuperação do patrimônio histórico. No total, ele é réu em 20 processos, só na Justiça Federal.

Os processos mais recentes foram abertos a partir de ações do MPF baseadas em provas coletadas durante a operação Forte do Castelo, de dezembro de 2017. O grupo é acusado de formar um esquema baseado na criação de empresas em nome de ex-assessores de Duciomar Costa que recebiam recursos públicos por meio de fraudes. Até a realização da operação, haviam sido identificados prejuízos de, pelo menos, R$ 400 milhões.

As empresas eram contratadas diretamente pelo poder público ou eram subcontratadas por construtoras vencedoras de licitações, como a Andrade Gutierrez. O patrimônio dos novos empresários ligados a Duciomar Costa, como o da atual companheira do ex-prefeito, Elaine Pereira, chegou a aumentar 200 vezes em pouco mais de dez anos.

Mas a pergunta é: afinal, depois de tudo isso, onde anda o ex-prefeito de Belém? Por que ele ainda continua solto? Nós conversamos com o procurador federal Alan Mansur. Confira o áudio da entrevista aos jornalistas Rodrigo Vieira e Layse Santos.

Conexão AMZ