Brasil tem 12 aeroportos entre os melhores do mundo. Nenhum na Região Norte

Apesar de o nosso país ter o maior número de aeroportos entre os 50 melhores, o desempenho das companhias áreas nacionais não foi positivo. O atendimento a reclamações dos consumidores ainda é o maior problema

Rodrigo Vieira | Conexão AMZ

Na última semana, a AirHelp divulgou a versão 2019 do ranking dos melhores aeroportos e companhias aéreas do mundo. 
Lançado em 2015, o estudo da organização internacional, a mais importante no segmento de direitos de passageiros aéreos, é considerado o mais abrangente e preciso do setor. Foram analisados e classificados os 132 aeroportos mais conhecidos e utilizados em todo mundo e as maiores companhias áreas de cada país. 

Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, o quarto melhor do mundo de acordo com o ranking da AirHelp (Infraero)

 

A boa notícia é que o Brasil foi a nação com o maior número de aeroportos entre os 50 melhores do mundo. Emplacamos 12, sendo o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em Curitiba, o mais bem-colocado. Ficou na quarta posição, com nota 8,37. A pontuação vai até dez. Nas primeiras posições aparecem o 
Aeroporto Internacional Hamad, do Qatar, no Oriente Médio, com 8,39 pontos. Mesma pontuação do Aeroporto Internacional Tóquio Haneda, na capital japonesa, que ficou em segundo lugar. Em terceiro, o Aeroporto Internacional de Atenas, na Grécia, com 8,38 pontos.

Voltando para os terminais aeroportuários brasileiros, o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), é o próximo mais bem-posicionado na lista. Ocupa a décima colocação, com média 8,25. O Rio de Janeiro pontuou dois aeroportos: Santos Dumont, que ficou na 17ª posição, e o Internacional RioGaleão, o 25º classificado. O último aeroporto brasileiro listado foi o GRU Airport, em Guarulhos (SP), que aparece na 45ª posição, com um total de 7,76 pontos.

A metodologia da AirHelp considera três fatores para avaliar os terminais aeroviários: pontualidade, qualidade dos serviços e qualidade do varejo, que analisa as opções de alimentação e lojas. A pontualidade tem peso de 60%. Quanto maior a pontuação, maior a porcentagem de voos no horário em um dia normal. 

Região Norte de fora

O que chama atenção no ranking divulgado pela AirHelp, na última semana, é que os 12 aeroportos que entraram na lista são de capitais e cidades das regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Não há um único representante da região Norte.

Aeroporto Internacional de Belém, o segundo maior da Amazônia em capacidade de transportar passageiros (Rodrigo Vieira - Conexão AMZ)

 

Inaugurado há 60 anos, o Aeroporto Internacional de Belém - Val-de-Cans pode ser considerado ocioso. A capacidade anual é para transportar 7,7 milhões de passageiros. Porém, recebeu  apenas cerca de 3,5 milhões de pessoas, entre embarques e desembarques, em 2018. Os dois terminais atuais foram inaugurados em 1999 e 2001, respectivamente, tendo sido os primeiros do país dentro da chamada fase de modernização dos aeroportos brasileiros, conduzida pela Infraero.

Apesar de ter sofrido melhorias pontuais no último ano (Val-de-Cans passou a oferecer serviço de internet grátis em outubro de 2018 e, recentemente, ampliou a área de raio-X), o Aeroporto Internacional de Belém ainda enfrenta problemas operacionais básicos. É comum encontrar queixas de usuários, em sites como o Reclame Aqui, em relação ao calor nos terminais.

Em julho de 2018, o Ministério Público Federal questionou a Infraero sobre a precariedade do sistema de ar-condicionado de Val-de-Cans. Na ocasião, a estatal admitiu que 70% dos aparelhos estavam em uso há, pelo menos, 17 anos e que 54 novas máquinas haviam sido compradas em 2017. Mas, a demora no processo de licitação havia atrasado a instalação. A promessa era de que os equipamentos nas salas de embarque doméstico e internacional fossem substituídos no mês seguinte e os das demais aéreas, em novembro do ano passado.

Atualmente, sete companhias aéreas operam em Val-de-Cans, que oferece voos nacionais e internacionais para os Estados Unidos, Portugal, Suriname e Guiana Francesa. A média diária é de 100 voos, entre pousos e decolagens.

O que diz a Infraero

Em nota enviada ao Conexão AMZ, a Infraero ressalta que a estrutura do Aeroporto Internacional de Belém foi bem-avaliada na Pesquisa de Satisfação Geral do Passageiro, realizada pelo Ministério da Infraestrutura. De acordo com a superintendência da estatal no Pará, “no levantamento do 1• trimestre de 2019, dos 38 indicadores analisados, 15 ficaram acima da média da categoria (aeroportos até 5 milhões de passageiros) e 24 superiores à meta de 4 pontos estabelecida pelo Governo Federal”.

Segundo a Infraero, as melhorias no sistema de climatização do Aeroporto Val-de Cans já foram realizadas. A empresa afirma que, por conta disso, “o Ministério Público Federal (MPF) arquivou a investigação sobre denúncias de precariedade do sistema de refrigeração do terminal”.

Ainda de acordo com estatal, o Aeroporto de Belém estaria entre os 20 mais pontuais da América Latina, segundo um “levantamento realizado, em março, pela FlightStats, uma das principais empresas provedoras mundiais em serviços de dados para o setor de viagens e turismo”. O terminal Belenense teria ficado em 12• lugar no ranking geral e em 8• na categoria dos aeroportos que movimentam entre 1,5 e 5 milhões de passageiros por ano, com 87,34% de partidas com, no máximo, 15 minutos de atraso.

Sobre o Aeroporto Val-de-Cans integrar ou não o programa de concessões que vem sendo realizado pelo Governo Federal, a Infraero respondeu que questões relacionadas ao tema cabem ao Ministério da Infraestrutura.

 

As companhias brasileiras no ranking 

A AirHelp também avaliou as 72 melhores companhias aéreas do mundo. Em primeiro lugar ficou a Qatar Airways, com pontuação 8,23, repetindo a posição do ranking de 2018 devido à presteza no retorno às reclamações e à elevada pontualidade. A American Airlines, dos Estados Unidos, ficou na segunda posição, com 8,07 pontos. Em terceiro, a Aeromexico, com igual pontuação. 

Um dos terminais do Hamad International Airport, no Qatar, eleito o melhor aeroporto do mundo (Divulgação Hamad International Airport)

 

As brasileiras Azul e Gol ocupam o 29º e o 58º lugares, respectivamente. Apesar da boa pontuação em termos de serviço e performance de partida e chegada no horário, as duas companhias não receberam pontos positivos no atendimento a queixas de passageiros. A Azul levou nota 8,3 para qualidade do serviço e 8,4 para pontualidade. Mas, apenas 5 para processamento de reclamações. Já a pontuação da Gol foi de 8,1 pelo serviço, 7,8 pela pontualidade e somente 3,1 processamento de reclamações.

Conexão AMZ
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!