Lena Cristina Barros Mouzinho

Trabalho como psicóloga, com pessoas, famílias, casais e grupos. Sou apaixonada por Educação Relacional e fiz disto meu sentido de vida. Todo meu exercício profissional é na busca de conexão humana, por meio do diálogo.

Minha paz interior

Antes de continuar buscando vencer a batalha com o outro e outro e outra, que tal descobrir como se desenvolve um bom diálogo interno?

Lena Mouzinho

Já escutaste que a gama de conflitos não resolvidos e acumulados que está na base das violências no mundo é um espelho do mundo interno humano?

Que projetamos nossas guerras internas no meio em que vivemos?

E que se aprendermos a lidar com conflitos intrapessoais teremos uma relação mais tranquila até com pessoas que consideramos mais desafiadoras?

Vejamos: se focares a atenção em teus pensamentos é possível que aqui e ali percebas algo como uma "discussão" entre aquilo que necessitas realmente e as demandas externas introjetadas: cobranças por ainda não seres o que "deverias" ser, por não teres chegado onde "tinhas que" estar, comparações com outras pessoas, julgamentos desqualificadores sobre ti mesmo e teus comportamentos...

É possível que aches "dentro" algo como um "tribunal de justiça", onde um "promotor" implacável atua sem direito a presença do"advogado de defesa", funcionando sob às vistas de um "expectador" cheio de pena por um "réu" inadequado e insuficiente.

Uma luta interna geradora de tristeza, raiva, angústia, ansiedade, cansaço, apatia...

Aí, chega alguém de súbito e te repreende, cobra, reclama e...te corrige sem que tenhas pedido esse apoio... e o ódio te queima...

É que já estava ardendo antes.

Sabe aquele teu horror a críticas e censuras? Vem daí. E aí é possível que se inicie, de imediato, uma discussão com aquele "juiz" que veio de fora, te ecoando, a quem vás considerar como a causa da tua dor.

O que aconteceu?

Ele deitou sobre tua "chama" uma porção a mais de combustível e a explosão aconteceu.

Se estivesses em paz contigo mesmo o julgamento do outro seria recebido de forma tão medonha?

Provavelmente não. E terias tido até uma boa conversa com teu pretendente a "juiz".

CONVERSA INTERNA

Antes de continuar buscando vencer a batalha com o outro e outro e outra, que tal descobrir como se desenvolve um bom diálogo interno?

Para tal precisamos despertar em nós, uma parte nossa que assuma a responsabilidade pela transformação de nossos conflitos internos em aprendizagem: um "educador interno amoroso".

Um sábio que existe dentro de cada um de nós e que, no lugar de lutar contra o "promotor" taxando-o de "sabotador", busca compreendê-lo: qual o sentido de sua presença em mim?

Quase sempre o "promotor" esteve à serviço de auto-proteção.

Foi recrutado lá na infância enquanto estávamos descobrindo estratégias para nos incluir. Imaturos, imaginávamos que, para sermos valorizados e pertencermos à família e à outros grupos queridos, precisávamos responder positivamente à todas as expectativas dos outros.

Tal "missão impossível" nos desconectou da satisfação de nossas necessidades e daquilo que precisávamos realizar para sermos felizes, descobrir nossos verdadeiros dons e talentos e o sentido de nossa vida: pra que existo?

FAZENDO MINHA PAZ INTERIOR

O "educador interno amoroso" desperto, reconhece-nos como um ser em desenvolvimento. E acolhe-nos no estágio em que estamos, buscando compreender o "para que ainda estamos assim?" Auto-aceitação - que nada tem que ver com acomodação - é ponto de partida para mudanças.

O diálogo entre o "educador interno amoroso" e o "promotor" é capaz de atualizar e amadurecer as estratégias de inclusão. Pois há muitas outras possibilidades que são libertadoras.

Exemplos?

Ele pode investigar (Auto-observação) nossos dons e talentos, pois sabe que esse é o "rio" por onde fluem habilidades que se transformam em competências.

E pode também identificar e buscar formas de satisfazer nossas necessidades (Auto cuidado), com respeito aos nossos vínculos relacionais.

Quando alguém se engaja neste mergulho de conexão consigo, exercita o realizar-se, livre e responsavelmente. E torna-se mais capaz de cooperar na construção de um mundo amoroso.

Sim, pois é fácil exportar para os outros o que já exercitamos conosco.

E o mundo só agradece!

Lena Mouzinho
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!