Chegada de Echeverría ao Remo é sinônimo de personalidade

Carlos Ferreira

Desafios de Echeverría no Leão   

Anunciado pomposamente, Echeverría vem para o Leão Azul atraído por desafios que só um jogador de personalidade assumiria. Vem para ser o “cara” do time. Portanto, sob cobranças extras, que devem ser inéditas na carreira dele. Mas um jogador que tem no currículo o Olímpia do Paraguai, a LDU do Equador, grandes competições internacionais e passagens bem razoáveis pelo ABC e CSA, deve ser “cascudo” o bastante para corresponder.

Nas últimas cinco décadas, nenhum estrangeiro conseguiu repetir em Belém o sucesso do uruguaio Veliz e do surinamês François no Remo ou do guianês Cacetão no Paysandu. Alguns foram razoáveis, como o argentino Galvan no Papão e o uruguaio Juan Sossa no Leão. Os fracassos se sucederam: Hector De Los Santos, Frontini, Nano Krieger, Martin Cortés, Rodrigo Salomon, Cáceres, Ryan Williams... Vejamos se Echeverría redime a estrangeirada.

 

Emerson sim! Por que não?
 

O fato de estar com 36 anos não descredencia Emerson para o Papão. É um dos melhores goleiros da história do clube, é muito profissional e ainda tem lenha pra queimar, embora não tenho feito sucesso este ano no Joinville. Seria uma contratação válida, sim, abrindo a série de importações. Afinal, o Papão deve importar de 10 a 15 jogadores. Já já os nomes vão começar a pipocar. João Brigatti e Felipe Albuquerque trabalham nessa missão, sob as ordens de Ricardo Gluck Paul. 

 

BAIXINHAS 

* Para evitar pressão, o Remo resolver poupar Echeverría de usar a camisa 33. O paraguaio vem para alavancar o programa Sócio Torcedor Nação Azul, o que vai depender das suas atuações. Só dará esse resultado como xodó da torcida. 

* Reações ao nome de Ricardo Capanema tiraram o nome do atleta da agenda do Paysandu. Levi, cogitado, foi anunciado pelo Castanhal. O atacante João Leonardo, ex-Bragantino, e o meia Dioguinho, ex-Izabelense, já assinaram com o Papão. Além deles, um terceiro regional. 

* Remo contratando mais oito jogadores: dois laterais, um zagueiro, um volante, um meia e três atacantes, entre importados e regionais. Desses oito atletas, três já assinaram pré-contrato, mas só serão anunciados quando assinarem o contrato definitivo.

* Atacante argentino Sérgio Sossa trabalhou no Tiradentes e no Remo, este ano, e saiu sem assinar nenhuma súmula. O mesmo já havia acontecido no Paysandu ao colombiano e também Yilmar Filigrana, que passou apenas uma semana em Belém, em janeiro. 

* Melhores do Ano. Seleção de PIO NETO (O Liberal): Vinicius, Nininho, Mimica, Diego Ivo,  Guilherme Santos; William, Renato Augusto, Dedeco, Rodriguinho; Felipe Marques e Cassiano. Técnico: João Nasser Neto. Craque:  Vinicius. Revelação - William. A coluna divulga os eleitos no dia 16, domingo. 

Colunas