Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Tempos de 8 ou 80 para o Remo e de muita energia para o Paysandu na Série C

Carlos Ferreira

Leão, agora é pra 8 ou 80

Para não depender de terceiros na disputa da classificação, o Remo teria que vencer o São José e o Paysandu. Missão difícil pelo potencial dos adversários e pelas limitações que o time azulino vem mostrando. Mas se o Leão se inflamar e conseguir a proeza, irá muito fortalecido para o "mata mata".

O clube está barateando o ingresso (arquibancada a 20 reais) para lotar o Mangueirão. Isso seria ótimo se o time não tivesse "amarelado" nos jogos de casa cheia, por flagrante fragilidade emocional. Esse mesmo time, numa postura nada profissional, forçou a redução das sessões de coaching e agora mostra a falta que faz o treinamento mental. No jogo contra o São José não vai caber a "frouxura" vergonhosa que imperou na derrota para o Tombense. Agora, é pra 8 ou 80.

 

Papão, da apatia à plena energia

Numa sequência de quatro jogos sem vencer, no início de junho o Papão recebeu Hélio dos Anjos para se redirecionar na Série C. Em dois meses e meio, o time que irritava com sua apatia agora dá esperanças com sua plena energia, já somando 11 jogos de invencibilidade no campeonato, à porta do G4.

Sob comando de Hélio dos Anjos o Paysandu ganhou intensidade de jogo e a entrada de peças importantes como Wellington Reis, Anderson Uchôa, Léo Baiano, Tomas Bastos e a impressão positiva de Hygor Garcia, pelos dois gols marcados no sábado. O time está ganhando personalidade e tem tudo para faturar mais três pontos e engatilhar a classificação na quinta-feira, no Mato Grosso, considerando-se a total instabilidade do Luverdense.

 

BAIXINHAS

* Thiago; Gabriel Cassimiro, Mimica, Cris, Daniel Vançan; Rafael Tufa, Dedeco, Zotti; Wesley, Marcão Santana, Alex Sandro. No time misto do Remo para a estreia na Copa Verde, hoje, contra o Sobradinho, os laterais estão escalados para ganhar ritmo para a "decisão" da sexta-feira contra o São José. Para Marcão Santana, essa chance é "prova dos nove".

* Léo Rodrigues, goleiro do Sobradinho, foi reserva do indigesto Lopes, no Remo, em 2011, trazido do Guarani de Campinas por Paulo Comelli. Léo está com 32 anos e esteve em Portugal, no Famalicão, ano passado.

* Duelo dos gêmeos Micael e Nícolas na segunda fase da Série C está cada dia mais improvável. Micael é o zagueiro do Paysandu e Nícolas o goleiro do Ferroviário/CE. Os dois são gaúchos de Campo Bom e estão com 33 anos. O Ferrim, que liderou o grupo A em dois terços da fase, vem caindo pelas tabelas e está na sexta posição.

*  Com o sucesso de público no jogo contra o Atlético-AC, o Paysandu ultrapassou o Santa Cruz na média de pagantes no Série C. Papão é o segundo do ranking, agora com 8.124 pagantes na média. O Remo lidera com 14.892 e deve ter casa cheia mais uma vez, na sexta-feira, contra o São José.

* Além de Sobradinho x Remo, também jogam hoje na Copa Verde Ypiranga-AP x Atlético-AC.  Amanhã, o Bragantino vai fazer o jogo de volta contra o Santos, em Macapá. O empate classifica o time de Bragança. E o Goiás, que pela primeira vez está na Copa Verde, vai acionar o time sub 23 contra o Brasiliense.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!