Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Qual o tamanho do jogo do Paysandu contra a Tombense nesta noite?

Carlos Ferreira

Papão em "jogo de seis pontos"

Possibilidade de passar à frente do Remo no G4, se conseguir vencer, e o risco de se aproximar da zona do rebaixamento se for derrotado, hoje, pelo Tombense. Isso diz bem quanto esse jogo é importante para o Papão, inclusive por ser contra um concorrente direto.

O Tombense ultrapassa o Paysandu e entra no G4 se vencer. Motivo para o time mineiro tratar o jogo como decisão. O Papão tem o mesmo motivo, pela perspectiva de se manter na faixa de classificação. Isso indica um jogo muito disputado e mais inclinado para o time mais aguerrido. Os bicolores precisam ter essa leitura e aplicar o máximo de esforço físico e de atenção às funções táticas. Afinal, esse é o que se chama de "jogo de seis pontos", pela concorrência direta. 

 

Artilheiro do Remo tem menos de cinco jogos

Ao marcar contra o Boa Esporte em Varginha, o atacante Alex Sandro isolou-se como artilheiro do Remo na temporada com quatro gols. Ele tem 16 jogos incompletos pelo Leão Azul. Total de 428 minutos, que equivalem a 4,7 jogos. 

Esses dados realçam a importância de Alex Sandro, pernambucano de 23 anos, que fez o gol do título estadual. Apesar de todos esses méritos, ele ainda não conquistou a titularidade. Os motivos são táticos. Alex Sandro vem sendo trabalhado para as funções que Márcio Fernandes quer dele. À medida que evoluir, terá chance de emplacar. Em Varginha ele começou como titular, mas foi substituído. 

 

BAIXINHAS 

* Nos dados sobre artilharia de Alex Sandro no Remo não estão contabilizados os amistosos, mas no primeiro deles (1 x 1 contra o Castanhal), fez um golaço de fora da área. Antes de vir para o Leão, ele fez cinco gols em 12 jogos pelo Juazeirense/BA em 2017 e outros cinco gols em 31 jogos pelo Globo/RN em 2018.

* Léo Baiano, Uchôa e Thiago Primão. Novo meio de campo do Paysandu com maior poder de marcação, hoje, com a estreia de Léo Baiano, mas sem os recursos ofensivos de Tiago Luis. Atacantes Vinícius Leite e Elielton, pelos lados, terão funções de apoio na marcação. Vai depender muito deles o equilíbrio da equipe.

* Juventude escapou do caldeirão que o Remo planejou. A ideia era jogar às 10 da manhã, no domingo, colocando o time gaúcho sob temperatura escaldante na reabertura do Baenão. A confirmação do jogo para 18 horas de sábado garantiu temperatura amena, embora ainda impactante para os sulistas. 

* Com 22 anos, Diego Matos vai emplacando como revelação bicolor na temporada em meio à avalanche de importados, inclusive o gaúcho Bruno Collaço que ele conseguiu barrar. Hélio dos Anjos corrigiu injustiça cometida por Léo Condé, que recolocou Collaço no time mesmo com rendimento superior de Diego ao substituí-lo em oito jogos.

* Nos dois jogos que fez contra o Papão, seu ex-clube, Augusto Recife sofreu duas derrotas: 1 x 0 jogando pelo Parauapebas e 1 x 0 defendendo o Tombense. Hoje, mais uma vez, ele estará em campo contra o clube bicolor, onde teve dias de glória entre 2014 e 2017.

Carlos Ferreira
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!