Carlos Ferreira

Jornalista, radialista e sociólogo. Começou a carreira em Castanhal (PA), em 1981, e fluiu para Belém no rádio, impresso e televisão, sempre na área esportiva. É autor do livro "Pisando na Bola", obra de irreverências casuais do jornalismo. Ganhador do prêmio Bola de Ouro (2004) pelo destaque no jornalismo esportivo brasileiro.

Atenção, Remo e Paysandu! Contagem regressiva para o início da Série C

Carlos Ferreira

Contagem regressiva: 50 dias para a abertura da Série C 

Faltam 23 dias de março e 27 de abril para as primeiras emoções da Série C/2019. As estreias do Remo em Belém contra o Boa Esporte e do Paysandu em Erechim/RS contra o Ypiranga estão programadas para o dia 28, domingo.

À medida que a competição se aproxima, todos os clubes acionam os seus profissionais para monitoramento dos futuros adversários. Os três nortistas são muito visados por serem os “estranhos” aos outros setes clubes do grupo B, do sul e sudeste, que se conhecem bem. Remo e Paysandu estão sob vigilância por conta de tradição e da força das suas torcidas. E o Atlético Acreano pela campanha que fez em 2018, como também pelos bons números em 2019, com cinco vitórias e um empate (88,8%) de aproveitamento. Está sobrando no campeonato acreano. Dos demais times do grupo, a melhor fase é do Volta Redonda, com quatro vitórias e uma derrota na temporada.

 

Papão tem artilharia bem diluída

Sete jogadores fizeram os onze gols do Paysandu no campeonato. Artilharia bem diluída, diferente das duas últimas temporadas, em que Bérgson e Cassiano concentraram a autoria dos gols. Alan Calbergue, Marcus Antônio, Nicolas e Paulo Rangel (dois, cada), Caion e Bruno Oliveira (um, cada) construíram a artilharia bicolor. O outro gol foi do remista Rafael Jensen (contra). Por outro lado, o time não toma gol há quatro jogos.

Os dados refletem o perfil do time, que funciona com freqüentes chegadas de defensores ao ataque e efetividade dos atacantes na marcação.

 

 

BAIXINHAS

* As impressões sobre o Papão, agora, são excelentes. Mas também é verdade que o Paysandu/2019 ainda não foi suficientemente testado e que as dificuldades serão crescentes no campeonato estadual, já no domingo, em Santarém, diante do desesperado e aguerrido São Francisco. O jogo será “decisão” para o Leão santareno. Assim mesmo, o Papão tem melhores credenciais.   

* Vídeos de jogadores no YouTube não permitem avaliações completas, mas valem para impressões. No seu vídeo, o meia Douglas Packer chega a impressionar pelos recursos técnicos. Se confirmar com a camisa do Remo o que mostra nos seus melhores lances no futebol indonésio, seguramente se tornará ídolo. Outros, porém, também impressionaram na telinha e fracassaram no gramado. Por isso, a nossa prudência.

* Vila do Apeú, em Castanhal, produziu onze jogadores profissionais nas últimas cinco décadas: Ivo, Val, Carlinhos, Luis Carlos, Almir Itaqui, Vânderson, Jurinha, Betinho, Ilaílson, Gully, João Carlos. Com esse bom histórico, o Apeú está se habilitando para a próxima “Segundinha”, tendo Milton Campos à frente. O projeto é priorizar a garotada e revelar talentos.  

* Ieda Almeida, vice-presidente do Paysandu. Josy Cardoso, com diversos cargos já ocupados no Papão, atualmente na área de segurança. Ana Cristina Figueiredo, diversas funções importantes já exercidas no Remo, sempre a serviço do clube. Aline Porto, um nome de expressão do Condel remista. Através delas, a coluna homenageia todas as mulheres bicolores e azulinas neste 8 de março. Parabéns a todas pelo Dia Internacional da Mulher.  

Carlos Ferreira