Campanha de vacinação contra a gripe no Pará segue até 31 de maio

Até o momento, 60% da meta foi atingida

Agência Pará

Faltam menos de 10 dias para que a Campanha de Vacinação contra a Gripe chegue a seu prazo final, 31 de maio. Até lá, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) convoca todas as Secretarias Municipais de Saúde para que intensifiquem a mobilização a fim de que a população dos grupos prioritários compareça aos postos de vacinação para que o Pará alcance a meta mínima de 90% de pessoas vacinadas.

Até esta quarta-feira (22), 63% da população indicada para se vacinar procurou as Unidades Básicas de Saúde no Pará durante a campanha, que está em vigor desde 10 de abril. Até 31 de maio, a meta é vacinar 2.074.497 pessoas ou, no mínimo, 90% desse total, que corresponde a 1.838.439 pessoas. A capital, Belém, registra 60% da meta até agora atingida. Para isso, o Pará está recebendo do governo federal 2,1 milhões de doses da vacina.

O secretário de Saúde e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, Alberto Beltrame, alerta sobre a importância da sociedade paraense para que o Estado possa alcançar a meta de vacinação. “A campanha está em todo o Pará, é um enorme esforço desenvolvido pelo governo do Estado e pelas prefeituras municipais. Nós já envolvemos mais de 21 mil profissionais de saúde, distribuídos em quase 3 mil postos de vacinação e mais de 5 mil equipes de vacinação. O Estado e o poder público podem muito, mas não podem tudo. A sociedade paraense precisa cooperar e comparecer nas Unidades de Saúde para vacinar, desta forma evitamos agravos provenientes dos vírus da gripe, e até mortes”. ressaltou Beltrame.

Assim, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) orienta que poderão se vacinar os que pertencem aos grupos prioritários: crianças com idade entre seis meses e menores de 6 anos; grávidas em qualquer período gestacional; mulheres até 45 dias após o parto; trabalhadores da saúde; povos indígenas; pessoas acima de 60 anos; professores de escolas públicas e privadas; pessoas de qualquer idade com doenças crônicas, como diabetes e outras condições clínicas especiais; jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade, além de profissionais das forças de segurança e salvamento, incluindo policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas). Quem tomou a vacina contra a gripe em 2018, deve tomar novamente este ano.

Nos grupos prioritários, os profissionais das forças de segurança e salvamento ainda permanecem como os menos vacinados, correspondendo a 26%; seguidos pelas crianças e indígenas (51% cada grupo); gestantes (52%), população privada de liberdade (57%); pessoas com doenças crônicas (65%); puérperas e trabalhadores de saúde (66% cada grupo); idosos (70%); professores (72%) e funcionários do sistema prisional (115%).

O Liberal
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!