Irmã de Rafael Miguel define momento: 'luto e assimilação de tudo'

Camilla Miguel usou suas redes sociais para falar sobre morte do irmão e dos pais

Redação Integrada

A irmã mais velha do ator Rafael Miguel, Camilla Miguel, usou suas redes para falar sobre a morte do irmão e de seus pais. O ator, João Alcisio Miguel e Miriam Selma Miguel foram mortos a tiros, na tarde do último domingo (9), em São Paulo, quando iriam visitar a namorada do artista.

Leia mais:

Namorada de Rafael Miguel acompanha velório do ator

Na postagem, ela agradeceu as mensagens positivas que recebeu, afirmando estar "em um momento de luto e assimilação de tudo que aconteceu".

A irmã pediu, ainda, que as pessoas não "compartilhem, comentem, e apenas denunciem" perfis que postaram fotos dos corpos de seu irmão e pais nas redes sociais.

Caso – O ator Rafael Miguel, 22, e seus pais, João Alcisio Miguel, 52, e Miriam Selma Miguel, 50, foram mortos a tiros na tarde deste domingo (9), no bairro Pedreira, na zona sul da cidade de São Paulo, quando iriam visitar a namorada do artista.

O pai da garota, Paulo Cupertino Matias, comerciante de 48 anos, teria chegado com uma arma e, em seguida, atirado contra as três vítimas, que aguardavam no portão da casa do atirador. As vítimas morreram no local. De acordo com a polícia, o suspeito fugiu após o crime e a motivação ainda é investigada.

Leia a declaração completa:

"Agradeço imensamente cada uma das incontáveis mensagens de amor e colhimento. Peço desculpas por não ter respondido a um dos amigos e reportagens que tentaram contato, mas estou em um momento de luto e assimilação de tudo que aconteceu, não consigo me pronunciar sobre justiça, nem como vamos seguir a vida

Obrigada também às, talvez, milhares de pessoas que compareceram ao funeral e enterro. E peço encarecidamente que não compartilhem, comentem, e apenas denunciem perfis desrespeitosos que tenham tirado e postado fotos do funeral ou corpos. Isso é desumano em níveis idênticos ao que uma pessoa fez com meus pais e meu irmão.

Com o tempo e aos poucos decidirei se vou me pronunciar, decidirei como eu e minha irmã de 13 anos vamos seguir. O sofrimento e a angústia de não tê-los mais, de não vê-los, não ver meus pais babando de amores pela neta, ou meu irmão sentado bem em frente de onde estou agora na cozinha, nada nunca vai ser completo sem eles, o trauma foi gigantesco. Mas seguirei eu, meu marido, que é o maior companheiro que existe, minha filha, e toda a família e amigos que sabemos que temos ao nosso lado.

Obrigada mãe, obrigada pai, obrigada Rafa. Vamos, por favor, deixá-los descansar na paz merecida pós tamanha brutalidade.

Arma não é e nunca será objeto de defesa; Arma é um objeto que mata."

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!