Universitária Victoria Figueiredo Passos está desaparecida

A estudante saiu de casa na noite desta sexta-feira (12), deixando o celular para trás. Familiares e amigos pedem ajuda para localizá-la.

Victor Furtado / Redação Integrada de O Liberal

A estudante Victoria Figueiredo Passos está desaparecida, desde a tarde da última sexta-feira (12). Familiares, amigos e o namorado estão preocupados, pois ela deixou o celular em casa. Sabe-se que levou uma mochila com roupas e documentos. Não há qualquer pista sobre para onde poderia ter ido. Há um temor quanto ao seu estado emocional e segurança.

Victoria cursa Letras - Francês, na Universidade Federal do Pará (UFPA). Mora com a mãe, que foi a última pessoa a ter contato com ela. Pela manhã, ao se despedirem antes da mãe sair para trabalhar, a estudante disse que ia para a universidade. No então, os colegas de turma dela relatam que ela não foi à aula.

"Tentamos contato com todos os amigos em comum e até amigos não comuns. Nem o namorado tem qualquer pista. A última coisa que vimos dela foi um post no Twitter, às 18h, antes de ela sair. Procuramos pelas redes sociais dela e não há qualquer pista. A mãe dela preferiu fazer esse primeiro contato pelas redes antes de registrar ocorrência", explica Aline Freitas, amiga de Victoria.

Informações sobre o paradeiro dela podem ser repassadas a: Liana Figueiredo (mãe, 98458-5060); David Matos (pai, 99983-3521); Aline Freitas (amiga, 98853-9196); e Gustavo (amigo,  99837-8277).

Ligações sem informações relevantes ou ajuda efetiva são desnecessárias. Trotes e brincadeiras, em hipótese alguma, devem ser feitos contra os familiares e amigos de Victoria.

PROCURE AJUDA

O Centro de Valorização da Vida (CVV) oferece apoio emocional gratuito a quem está sofrendo com pensamentos suicidas, depressão, ansiedade ou pensamentos violentos. É possível conversar, de forma sigilosa, pelo telefone 188, pelo chat do site www.cvv.org.br, por e-mail... a pessoa que estiver precisando escolhe o meio que achar mais conveniente.

O CVV tem atendimento 24 horas por dia. Pensamentos suicidas, sentimentos de tristeza prolongada, ansiedade, medo excessivo e reações violentas ou agressivas não são fraqueza, covardia ou problema religioso. São sintomas de doenças da mente e que podem ser tratados. Muitas vezes, o ódio também é um sintoma. E se esse sentimento levar a pensamentos violentos ou suicidas, procure ajuda.

Belém