Rodoviários aceitam proposta e não farão greve de ônibus em Belém

Redação integrada de O Liberal

Durante assembleia realizada na noite desta quinta-feira (24), na sede do Centro de Formação de Rodoviários, na Travessa Vileta, os trabalhadores de Belém decidiram aceitar a proposta da Setransbel e não haverá greve da categoria. O Sindicato dos Trabalhadores de Ananindeua e Marituba, também durante assembleia com os trabalhadores dos dois municípios, aceitaram a proposta e seguirão a tendência dos trabalhadores de Belém.

Durante a tarde de hoje, rodoviários e donos de empresas de ônibus se reuniram na sede do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (Setransbel), no bairro do Jurunas, para negociação com a patronal. Pela primeira vez, desde o início das negociações da data-base deste ano, os empresários trouxeram uma proposta diferente para a categoria: ofereceram aumento nos salários e no vale alimentação no mesmo valor do índice do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do período, que deve ser divulgado no início do mês de maio.

Além disso, foi oferecida redução da jornada de trabalho das atuais oito horas (com uma hora de intervalo), para 7 horas (30 minutos de intervalo). "Conseguimos diminuir a jornada e isso é um grande avanço. O trabalhador agora vai largar seu trabalho 50 minutos antes, isso deve ajudar na melhoria do serviço ofertado à população, com motoristas menos cansados", comentou Altair Brandão, presidente do Sindicato dos Rodoviários de Belém.

Ainda de acordo com Altair, o aumento nos salários será entorno de 4,5% a 5%, de acordo com o INPC. Além dele, conseguimos o INPC mais 2% acima para o auxílio clínica e para o Centro de Formação, o que é muito bom. Mas o mais importante disso tudo é que não perdemos nenhum direito",finalizou Altair Brandão.

Belém