Procura por atendimento em Upas e hospitais de referência diminui em Belém

Dilson Pimentel

A Redação Integrada percorreu seis estabelecimentos de saúde de Belém, e que tratam dos casos do novo coronavírus, e verificou, nesta quinta-feira (21), uma tranquilidade no fluxo de pacientes. Na Policlínica Metropolitana, no bairro do Marco, o movimento era calmo. A acompanhante de uma senhora preferiu não dar entrevista, mas disse que o atendimento transcorreu normalmente. Ela contou que a senhora deixou feliz a unidade, porque já saiu com o medicamento. Essa senhora alegou que não daria entrevista por estar se “sentindo fraca”.

Entrada da Policlínica nesta quinta-feira (Thiago Gomes / O Liberal)

As pessoas chegam  à Policlínica e passam pela triagem. Um profissional de saúde fica na porta e coloca o oxímetro no dedo do paciente (esse aparelho faz a leitura da porcentagem de transporte de oxigênio pelo sangue), e também faz umas perguntas. Se estiver tudo certo, o paciente entra, enquanto, na porta, o acompanhante aguarda ser chamado. A policlínica realiza atendimento exclusivo a pacientes com sintomas leves e moderados da covid-19.

Atendimento no Hospital Abelardo Santos (Thiago Gomes / O Liberal)

Movimento também tranquilo no Hospital Regional Dr. Abelardo Santos, em Icoaraci. Não havia filas durante a manhã. Na frente do hospital, alguns acompanhantes. A pessoa entra pela portaria, pega a senha e vai direto para um ônibus. No veículo, é feita a triagem e, em seguida, ocorre o encaminhamento conforme o quadro clínico do paciente. Os pacientes já saem com o remédio na mão. A reportagem tentou, mas os pacientes preferiram não dar entrevistas. Desde 30 de abril, o Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS)  passou a atender exclusivamente pacientes com suspeita de covid-19.
 
Na UPA de Icoaraci, também era tranquilo o fluxo de pacientes. Há uma tenda de acolhimento dos pacientes, instalada ao lado do prédio da unidade. Por volta das 11h20, havia apenas quatro pacientes na tenda aguardando atendimento. Segundo uma profissional de saúde, havia dois médicos atendendo na tenda. E, dependendo da necessidade, eles encaminham os pacientes para fazer, dentro da UPA, o raio x. Essa profissional de saúde, que pediu para não ser identificada, também disse que, em relação às últimas duas semanas, está diminuindo muito a procura de pacientes por covid-19. "Está tão tranquilo que estou há 20 minutos aqui na frente e não entrou nenhum novo paciente na tenda", contou o repórter fotográfico Thiago Gomes, que, na manhã desta quinta-feira (21), percorreu esses estabelecimentos de saúde para registrar a movimentação de pacientes em busca de atendimento.

UPA de Icoaraci nesta quinta (Thiago Gomes / O Liberal)

Na UPA da Sacramenta, o atendimento também estava normal. Por volta das 12 horas, havia apenas um paciente dentro da tenda recebendo atendimento. A esposa desse senhor preferiu não dar entrevista, mas contou que o marido teve alguns sintomas e, como ela viu o noticiário informando estar mais tranquilo o fluxo de atendimentos, levou seu marido na UPA. Ela já teve a covid-19 e, há duas semanas, mesmo morando próximo à UPA da Sacramenta, preferiu ir para o hospital Abelardo Santos, em Icoaraci, por saber que lá o atendimento era mais rápido. Uma profissional de saúde informou que havia dois médicos fazendo o atendimento na tenda. Logo em seguida, aquele senhor deixou a UPA, após receber atendimento.

Na UPA do Jurunas, movimento também era normal. Por volta das 12h24, não havia sequer movimento de paciente chegando ou entrando na unidade. Em frente ao prédio, um rapaz esperava uma familiar, que já havia sido encaminhada para fazer exame (raio x). Ele disse que o atendimento foi rápido e que aguardava o momento de ela sair da UPA, para voltar para sua casa.

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), da Prefeitura de Belém, montou essas atendas de acolhimento anexas aos prédios das UPAs com o objetivo de realizar o processo de triagem, seguido de identificação do quadro clínico dos pacientes, para prevenir possíveis contaminações relacionadas à covid-19.
No hospital de campanha do Hangar, tudo tranquilo também. Por volta das 13 horas, uma família, cujo pai está internado, contou que chegou e logo entrou para a recepção. Pelo tablet, eles falaram com o parente internado. Disseram que esse procedimento foi rápido.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BELÉM