Novo porto na Bernardo Sayão sai em até cinco dias

Primeiro dia útil de operações após a queda da ponte sobre o rio Moju foi de trânsito intenso e incertezas sobre horários

Redação integrada de O Liberal

No primeiro dia útil após a queda da ponte sobre o rio Moju, os terminais rodofluviais da avenida Bernardo Sayão ficaram lotados. E isso representou filas longas no trânsito do entorno, como na rua Augusto Correa, avenida Perimetral e a avenida José Bonifácio. Por enquanto, há dois portos operando a travessia, com oito balsas, funcionando 24 horas por dia. Um terceiro porto será aberto em até cinco dias.

Nos terminais portuários, a Agência de Regulação e Controle de Serviços Público do Pará a (Arcon-PA) está fiscalizando e orientando as operações. A demanda se mostra superior à capacidade de atendimento logístico e gera reclamações.

Deymison França, caminhoneiro de uma empresa de frangos, chegou ao Terminal Rodofluvial de Belém às 3h. Passava das 11h e ele não tinha previsão de quando ia embarcar numa balsa para ia a Moju. Disse que vários caminhões com alimentos e produtos congelados estavam retidos, esperando embarque. Por isso entende que pode haver desabastecimento nos municípios que dependem da ponte.

"Acredito que as coisas ainda vão piorar nos próximos dias. Falta informação, mais agilidade para atender todo mundo... Tem colegas meus do outro lado, tentando vir para cá e não conseguem. A gente está com horário ara sair, mas nenhuma previsão do horário de voltar", disse o caminhoneiro.

Dona Maria do Carmo faz a viagem Belém - Baião, de ônibus, com frequência. E nunca demorou tanto tempo para chegar. "Demora algumas horas. Mas saí do Terminal Rodoviário às 6h. Passa das 10h e ainda não saí de Belém. Já estou preocupada em como vai ser a volta por conta desse problema", comentou.

O Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran-PA) e Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) iniciaram uma operação para tentar dar fluidez ao trânsito, organizando os estacionamentos de caminhões na fila.

José Bento, diretor técnico operacional do Detran-PA, explicou que a operação está sendo ajustada conforme o panorama deste primeiro dia útil. Inicialmente, os dois portos na Bernardo Sayão estão absorvendo toda a demanda, sendo um para veículos maiores e outro para veículos de passeio. Outra medida é a criação de novas rampas em Moju.

"O novo porto deve ser aberto em cinco dias. Sabemos que nesse momento o que temos disponível não é o ideal, mas é o suficiente para amenizar esse primeiro impacto. A Bernardo Sayão, entre a Fernando Guilhon e a José Bonifácio estão realmente com volume maior devido à esta situação. Melhor evitar esse trecho. Quanto ao embarque, quem puder atrasar a travessia para depois das 19h, vai encontrar um fluxo menor", orienta Bento.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!