Chuva da segunda-feira foi a mais intensa do ano

Em um dia choveu 67% do que era esperado para todo o mês de junho, diz meteorologia

Eduardo Rocha

Levantamento do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet/2º Distrito de Meteorologia de Belém) indica que a chuva que caiu sobre Belém na segunda-feira (10) teve o maior volume deste ano, atingindo 92.4 milímetros. "A chuva de segunda-feira foi considerada atípica devido à intensidade e ao grande volume em poucas horas", afirmou o coordenador do Inmet/2º Disme, José Raimundo Sousa. 

Lei também - Chuva forte e prolongada volta a atingir belenenses nesta terça-feira

Ele informou que o Inmet fez previsão de pancadas de chuvas sempre ao final da tarde e começo da noite para este período. "A chuva começou às 20h30 e terminou às 3 horas da madrugada, ficando forte entre 22h e 24 horas e moderada à fraca entre 0h e 3 horas da manhã", declarou José Raimundo. Os 92.4 milímetros identificados na chuva de segunda representam 67% das chuvas esperadas para o mês todo, dentro da normal que é de 155.5mm. "Para se ter uma ideia, nos primeiros 10 dias do mês de junho o total de chuvas foi de 24 milímetros; agora somado aos 92.4 milímetros o total de chuvas do mês fica em torno de 116 milímetros", acrescentou.

De acordo com o Inmet, as chuvas ocorreram devido a perturbações nas ondas de leste que influenciaram na circulação nos ventos alíseos, associados ao forte aquecimento da superfície e convergência de umidade do Oceano Atlântico Norte nos baixos niveis. Isso favoreceu o desenvolvimento de nuvens carregadas cumuluninbus, desde a costa litoral do Estado do Maranhão, propagando-se pelo nordeste e litoral do Estado do Pará, culminando na Região Metropolitana, com a Cidade de Belém registrando o maior Índice pluviométrico deste ano, com raios e trovoadas.

Pancadas - Ainda estão previstas pancadas de chuva de menor intensidade nas próximas 48 horas, ou seja, até esta quarta-feira (12). Depois, haverá uma trégua com relação a chuvas. Segundo o Inmet, os totais pluviométricos mensais devem ser ultrapassados em Belém durante o mês de junho, e também no litoral bragantino e outras cidades do nordeste paraense.

Ainda ocorrerão chuvas em forma de pancadas, a maioria de curta duração, em junho e parte de julho, principalmente no final da tarde e noite, em virtude de efeitos convectivos, brisas e perturbações nas ondas de leste, atingindo a Cidade de Bragança, Salinópolis, Marudá, Curuçá, e municípios do nordeste paraense e dos arredores próximas à costa litorânea. Também serão registradas chuvas em Soure, no Marajó,  e municipios localizados ao norte e leste da ilha.

Altas - No entanto, o Estado do Pará deve se preparar para altas temperaturas e estiagens, o que já começou no sul e sudeste do Estado, como indicou José Raimundo Sousa. "A previsão é de dias ensolarados e as chuvas notadamente ocorrerão no final da tarde e decorrer da noite; portanto, temperaturas elevadas estão previstas, inclusive, para Belém e Região Metropolitana. É muito provável que não mais ocorram chuvas com tamanha intensidade no mês de junho aqui, em Belém", finalizou José Raimundo.

Belém