Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Adrenalina

Por Rosiane Rodrigues

Quadro voltado para esportes radicais assinado pela jornalista Rosiane Rodrigues, que potencializou o amor pelos esportes radicais nas coberturas das competições de Motocross em todo estado do Pará, isso há quatro anos. É fundadora e CEO do site Gastronomia Paraense, CEO do RÔ Comunicação e Imprensa e assessora da Confederação Brasileira de Motociclismo.

Ultraleve, emoção compartilhada entre pai e filho

Rosiane Rodrigues

Em novembro do ano passado, eu compartilhei aqui no quadro um pouco do que senti nos meus primeiros voos de ultraleve, a sensação que tive ao viver essa adrenalina. Hoje gostaria de compartilhar com vocês a história de pai e filho, Irair e André Santana, ambos movidos pela paixão da aviação e que aprenderam a pilotar ultraleve juntos.

Na adolescência, André Santana, 45 anos, tinha um sonho de ser piloto profissional, mas na época seguiu para outra área.  “Sempre gostei de conteúdos de aviação e quando já tinha mais idade comecei a ver que o ultraleve era uma opção para quem queria voar sem ser profissionalmente. Então fui atrás de conhecer mais e fui gostando, até perceber que estava ao meu alcance”, disse André, que é Arquiteto, engenheiro e professor. 

No Ultraleve André realizou o sonho de pilotar e viver a adrenalina proporcionada pelos ares. Segundo ele, por falta de informação, no começo foi difícil saber que existia a prática do esporte no estado. “Primeiro fui com meu pai ao Rio de Janeiro para fazer o curso de Paramotor, por ser um esporte que depende menos de pistas e o equipamento é mais barato. Infelizmente não concluímos o curso por problemas meteorológicos. Na volta, tentamos professor em Belém, mas não achamos. Ao procurar, achamos a opção do trike, que já precisa de pista, mas era uma opção mais perto. Fizemos algumas aulas e o trike, tivemos problemas mecânicos e as aulas pararam”, relembrou. 

ultraleve com andre irair e marquinho xibé

Nesse meio tempo, André Santana teve os primeiros contatos com as máquinas Ultraleve. “Fui atrás de saber quanto custava um ultraleve e as aulas para a pilotagem. Recebi umas opções e quando apareceu uma que cabia no meu orçamento, eu abracei e comecei as aulas”, disse o piloto. Depois de comprar a máquina e fazerem as manutenções necessárias para o voo seguro, André e Irair Santana começaram as primeiras aulas de pilotagem com Marquinho Xibé, nome famoso na modalidade paraense e instrutor pioneiro no estado.

Para o médico aposentado Irair Santana, 74 anos, viver essa aventura e realização ao lado do filho é sensacional. “Isso facilitou muito nosso aprendizado. Trocamos experiência, exercitamos a cautela e juntos vamos desenvolvendo nosso lado gaivota”, disse o médico, sorridente e enfatizando que é lindo ver que o filho também é um admirador do esporte aéreo.

Irair Santana trabalhou durante anos no Serviço de Proteção ao Vôo da Aeronáutica e foi lá que teve contato com aerodinâmica e navegação aérea, além de meteorologia e regulamentos de voo. “Nesse período foi crescendo em mim uma admiração pela aviação, mas minha atividade profissional não me dava tempo pra me dedicar a ela. Agora, já aposentado, ficou mais fácil. Avaliei com mais detalhes ao fazer curso de paramotor e de trike. Senti então, que o que me seduzia realmente, era o ultraleve. Dei asas à imaginação; corri atrás e hoje dou asas à emoção”, expressou.

Para Irair, voar não é apenas se deslocar no ar. “É muito mais. É liberdade. E como Richard Bach dizia em seu livro Fernão Capelo Gaivota, é ultrapassar limites, é convicção e um pouco de coragem. Então, sentir aquele vento no rosto, lá nas alturas, "tocar" nas nuvens, é tudo muito mágico”, descreveu o piloto. Sensação de liberdade sentida também por André Santana. “Liberdade e orgulho. Liberdade de poder escolher o caminho por onde ir. Orgulho de ter conseguido, apesar de tantos obstáculos. O terceiro sentimento é que eu quero isso por muitos anos, até explorar todos os caminhos possíveis”, disse André.

Os dois já fizeram o voo solo, que é quando viajam sem a presença de um piloto experiente ao lado, e compartilham objetivos no esporte. “Na verdade isso foi construído sempre com essa parceria. Não teríamos feito isso sozinhos, sem a ajuda um do outro. Para mim, foi algo natural e assim continua, como quando programamos voar ou fazemos planos de futuro no esporte. Temos ideias semelhantes e complementa, o que ajuda muito nas questões de segurança. Para a minha família, estarmos juntos é uma garantia de segurança, pois um não vai deixar o outro se arriscar”, concluiu André Santana.

Em breve o vídeo com a experiência única dos dois estará em nosso canal do YouTube, clique aqui para se inscrever e ative as notificações para acompanhar assim que estiver disponível. 

Acelerando

Motocross
Sportbay Campeonato Brasileiro de Motocross 2022 dá largada no Sul do país e promete fortes emoções para os amantes do esporte. As competições terão transmissão ao vivo no canal do Sportbay, no YouTube.

Skate
A Seletiva Norte Loterias Caixa de Skate Street Amador 2022 será às 8h dos dias 21 e 22 de maio, no Marex Skatepark. Interessados em participar da seletiva podem tirar todas as dúvidas através das redes sociais da Federação Paraense de Skate (@fpsk.pa).

Enduro
Pilotos do off road se preparam para as competições do Campeonato Paraense de Enduro, com competições em vários municípios do estado. O próximo evento será o Enduro das Águas, em Capitão Poço, no dia 22 de maio.

Se você é amante de esportes radicais do Pará, nos siga nas redes sociais @adrenalinarr e talvez a sua história seja a próxima a aparecer por aqui! Tmj

 

Adrenalina
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!