Ricardo Tomaz

Oratória e Comunicação Eficaz

Formação em Gestão de Recursos Humanos e Comunicação Social. Ator há 16 anos, empresário, palestrante, instrutor corporativo e mestre de cerimônias. Atua no ambiente corporativo utilizando ferramentas, como a Arte e o Design Thinking, que facilitam a aprendizagem, a criatividade, a comunicação e impulsionam equipes.

O medo de falar em público - Parte 2

Uma visão geral

Ricardo Tomaz

Você tem medo de falar em público? O mercado de trabalho vem sofrendo mudanças constantes com novas tecnologias, com a velocidade da informação. Em consequência disto mais competências são exigidas dos profissionais, porém a comunicação vem apenas sofrendo adaptações neste turbilhão de informações e o ser humano, com a capacidade que tem, busca constantes estímulos para adequar sua carreira profissional e vê-la alavancar cada vez mais. A comunicação interpessoal apresenta uma demanda relevante atualmente: os Influenciadores Digitais, que buscam tocar o público com informações direcionadas, segmentadas e com estratégias tanto com textos inovadores e reflexivos como com vídeos onde promovem um dialogo mais assertivo.

O cenário atual requer que possamos aprimorar cada vez mais os talentos que possuímos naturalmente, a comunicação eficaz e a oratória. O medo é um aspecto natural do ser humano acessado através de estímulos cerebrais que indicam momentos de ameaça e isso não é um problema exclusivo, com o passar do tempo descobrimos que várias pessoas apresentam o mesmo comportamento. Estudos mostram que o maior medo do ser humano ainda é o medo do público, da exposição, do julgamento, de críticas. Segundo uma pesquisa realizada em 2009, pela Globo.com, este índice é alto e supera o medo da morte.

A Adrenalina é um hormônio produzido automaticamente pelo organismo conforme os sinais de alerta e também é a responsável por enviar informações ao cérebro de que devemos correr, lutar ou sair de uma situação de perigo. Quando ela é produzida logo se espalha pela corrente sanguínea causando alguns efeitos físicos que podem prejudicar nosso desempenho no momento de executar um discurso em público. Os efeitos são variados como: mãos frias e trêmulas, boca seca, suor nas axilas e nos pés, estômago embrulhado, voz aguda, branco repentino, etc.

De uma forma geral devemos ter a consciência de que esta é uma consequência e defesa do nosso corpo, instintiva, natural do ser humano. Mas com técnicas, informações e exercícios podemos transformar e direcionar este “alerta”, para que no lugar de dificultar possa ser sutil e nos impulsionar a ter uma performance melhor, mais saudável. Portanto o medo é natural e dizer que vamos perdê-lo por completo seria contradizer aspectos da nossa natureza. O mais eficaz seria entender que devemos saber lidar com este medo, com nossas dificuldades e ressignificar comportamentos. 

Para que possamos ter uma visão geral das vantagens em desenvolver esta competência e o que vamos colher atuando no mercado de forma eficaz, muitos estudiosos afirmam que Falar em Público pode levar a liderar uma reunião de equipe, apresentar um produto ou nova ideia, levar conhecimento em palestras ou treinamentos, tomar a palavra em debates e fóruns e pode alavancar sua carreira, levar a um cargo de liderança, levar a autoestima e aprimorar cada vez mais o processo de comunicação individual.

O cérebro tem mais potencial do que imaginamos e podemos acessar as programações mais adequadas e buscar o sucesso. Uma boa Oratória é uma competência muito bem aceita no mercado de trabalho.

 

Ricardo Tomaz
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!